Histórico


Eu tive o privilégio de vivenciar, como docente recém admitida, a expansão quantitativa acelerada do nosso Departamento com a implantação do novo currículo do curso médico da UFMG. Eu tive também a oportunidade de vivenciar e me integrar ao projeto departamental de capacitação e qualificação. A consolidação da titulação acadêmica e a implementação da pesquisa promoveram um processo acelerado de produtividade científica em número e complexidade. Nessa longa trajetória de expansão e amadurecimento, o PED manteve os princípios básicos dos valores qualitativos nas relações humanas, a herança daquele nosso núcleo inicial de docentes.

Assumi a chefia do Departamento de Pediatria no cenário de parcerias de longa data com o Sistema Único de Saúde e de iniciativas setorizadas de intercâmbio interinstitucional, identificando-se, entretanto, espaço para um olhar extramuros com foco na saúde da criança e do adolescente em todos seus determinantes – históricos, culturais, sociais, biológicos e não somente reduzidos à situação de doença e que pudesse ser representado por um projeto de participação coletiva, integrador e com vistas à formulação de políticas públicas na área pediátrica, reproduzindo o espírito e a dinâmica de trabalho do Departamento de Pediatria..

Em conversa com Prof. Edison Correa, de sua grande experiência e conhecimento surgiu a proposta da criação e implantação de um observatório pediátrico, constituindo àquela época o primeiro projeto no Brasil, com foco na proposta de ação pró-ativa de atenção à saúde da criança e do adolescente. Um novo olhar, uma ampla janela e a proposta de um novo conceito: a observação sistemática e permanente da saúde da criança e do adolescente; um espaço de monitoração com captura e sistematização de dados, envolvendo a análise, divulgação e difusão de informações relevantes para as decisões setoriais — governo, sociedades científicas, universidade e outras instituições — com a finalidade de subsidiar políticas públicas de saúde. Nesse contexto, deveria envolver indivíduos e instituições, ter caráter interdisciplinar, formativo, educativo e formato transetorial, com integração de professores, alunos, gestores, além de profissionais e organizações não governamentais da área de saúde da criança e adolescente.

Em 2006, foi iniciada a discussão para criação do Observatório PED-SUS com a preocupação na sua organização de não reproduzir a segmentação por especialidades. Para promover a consolidação de parcerias com indivíduos e instituições, envolveu desde a discussão de sua construção, além dos professores do PED e outros profissionais da área de saúde, o Centro de Pesquisas, o Centro de Pós-graduação e epidemiologistas do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina, a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, FHEMIG, Sociedade Mineira de Pediatria e Telessaúde.

A Oficina do Observatório da Saúde da Criança e do Adolescente, com ampla participação dos diversos segmentos, foi realizada no dia 10 de outubro de 2007 no Hotel Piemonte, com programação baseada em palestras, grupos de discussão e plenária ao final do evento. A oficina teve como objetivo ampliar a discussão da proposta de criação desse Observatório pelo Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG em convênio com a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e, na busca de metodologias inovadoras, construir e produzir documento para subsidiar a sua implantação. Sob a coordenação da chefia do PED e com a organização formatada nos moldes de Secretaria Executiva, Núcleos e Membros Associados, foram iniciadas as atividades com a instalação do Núcleo Gerencial, composto pelos professores Cleonice de C. Coelho Mota, Edison José Correa, Benedito Scaranci Fernandes e Lúcia Maria Horta de Figueiredo Goulart e a secretária do Observatório PED/SUS, Marília Regina S. Rodrigues.

O convênio entre o Departamento de Pediatria e a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais foi assinado a seguir e envolveu a liberação de R$ 250 000.00, além de cinco bolsas mensais para monitoria de alunos da UFMG, discentes dos Cursos de Graduação Medicina, de Comunicação e Computação. O projeto foi também contemplado com uma bolsa para aluno do curso médico no programa de monitoria PEG. Esses recursos permitiram instalar a secretaria administrativa, proceder à seleção dos alunos monitores e à reforma do PED, adequando seu espaço físico e estrutura para o funcionamento do Observatório com o redimensionamento da área e aquisição das ferramentas de trabalho, principalmente computadores.

O Núcleo Gerencial, em conjunto com os alunos monitores, deu prosseguimento ao projeto com a elaboração de documentos, desenvolvimento dos eixos temáticos e integração com os diversos setores e indivíduos envolvidos, por meio de discussões setorizadas de trabalho e reuniões ampliadas com os membros integrantes.

Eu gostaria de agradecer a todos que se dedicaram e contribuíram nessa fase do projeto, em especial aos colegas do Núcleo Gerencial e á secretaria administrativa, bem como o apoio dos membros da Câmara Departamental, á diretoria da Faculdade de Medicina e à Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais. Foi para mim uma grande satisfação que a implantação desse projeto tenha ocorrido durante a minha gestão na chefia do Departamento de Pediatria. Da mesma forma, registro com alegria o envolvimento das Professoras Maria Aparecida Martins e Benigna Maria de Oliveira na continuidade das atividades, esperando que a cada gestão das futuras chefias sejam incorporados novos avanços, promovendo o crescimento do Observatório com a integração e a ação interinstitucional do nosso Departamento.



Profa. Cleonice de C. Coelho Mota

Professora do Departamento de Pediatria e membro do núcleo gerencial do ObservaPED

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Raquitismo

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Recomendações sobre sono seguro