Sarna

É a infecção da pele por um carrapato muito pequeno, que não pode ser visto sem uma lente de aumento. A infecção por esse carrapato, ou ácaro, é também chamada de “escabiose”.



Ele pode passar de uma pessoa para outra através do contato de pele ou pelas roupas. Na pele ele causa o aparecimento de coceira e pequenos calombos avermelhados, principalmente nas axilas, entre os dedos, nas dobras das virilhas e nas nádegas. No menino, esses calombos são muito comuns no pênis e no saco (bolsa escrotal ou escroto). Quando mais de uma pessoa na casa apresenta pequenos calombos e coceira no corpo, especialmente à noite, é muito provável que seja sarna. Na criança de colo, que não sabe ainda se coçar, é muito comum a agitação no berço, às vezes esfregando um pé no outro.

O tratamento é feito aplicando medicamento apropriado em todo o corpo, durante três dias seguidos. Deve ser repetido após uma semana. Todas as pessoas que convivem com a criança devem ser examinadas e controladas, para tratamento, se necessário. As roupas devem ser lavadas e expostas ao sol, não sendo necessário fervê-las.

Nota: Os medicamentos de escolha são, pela ordem: benzoato de benzila a 20% ou monossulfiram a 10%. Em crianças pequenas e peles sensíveis dar preferência a monossulfiram, tiabendazol e fórmula com Enxofre precipitado 5, Bálsamo do Peru 10 e Vaselina qsp 100. Uma fórmula simples, nesses casos, é a pasta d’água (processo mnemônico – gato – glicerina, água de cal, talco, óxido de zinco: 25, 25, 25, 25), acrescentada de enxofre, 5 a 10 g, dependendo da sensibilidade da pele. Se necessário tratar previamente infecção secundária (piodermite). Usar corticóide tópico em lesões eczematizadas. Algumas vezes é necessário o uso de anti-histamínico sistêmico, se o prurido é muito intenso. O Sarcoptes não vive mais que 24 horas fora do corpo. (não ferver roupas)

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo