Cefaleia

Também conhecida como dor de cabeça, é um sintoma muito comum na pediatria. A dor pode localizar-se em qualquer parte da cabeça, sendo mais comum na região atrás dos olhos, na testa e próximo à nuca.

As cefaleias são divididas em primárias ou secundárias. As primárias são as cefaleias do tipo tensional e a enxaqueca. A cefaleia tensional é o tipo mais comum e caracteriza-se por dor contínua, bilateral, em aperto ou em pressão, que pode limitar, mas não costuma atrapalhar as atividades da criança.  Fatores desencadeantes da dor são tensões familiares, dificuldades escolares, dores crônicas em membros da família, entre outras.

As secundárias são causas raras de cefaleia crônica na infância, sendo causadas principalmente por infecções. A dor de cabeça pode ser causada por infecções (sinusite, otite, meningite ou infecções sistêmicas), doenças oculares, doenças dentárias, traumas, convulsões, hipoglicemia, exercícios físicos exaustivos, tumores, etc.

O tratamento desse sintoma é feito com o uso de analgésicos. São situações de maior preocupação e que requerem atendimento médico imediato: idade inferior a cinco anos, dor intensa de início súbito, diária desde a sua instalação, recorrente matinal ou que desperta a criança, mudança do padrão da dor, aumento da frequência ou intensidade das crises, ausência de alívio com analgésicos comuns e associação com vômitos.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo