Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

Enxaqueca

É uma doença que acomete ambos os sexos, mais comum em meninas na adolescência e caracterizada por dor de cabeça de início abrupto, intensa e pulsátil, frequentemente associada à dificuldade de ficar em lugares claros e barulhentos e piora com exercícios físicos.

Enjoo (náusea)

Também conhecido por náusea, trata-se da sensação desagradável que geralmente precede o vômito.

Encoprese

É a eliminação de fezes, voluntária ou não e sem causa aparente, na roupa ou em local não apropriado por crianças que já adquiriram o controle da evacuação ou por crianças maiores de quatro anos.

Dor de Ganganta (amigdalite, faringite, infecção da garganta)

Imagem
É devida, na maioria das vezes, à inflamação da faringe (faringite), amígdalas (amigdalite) ou adenoide.

Dor de cabeça (cefaleia)

Também conhecida como cefaleia, é um sintoma muito comum na pediatria. A dor pode localizar-se em qualquer parte da cabeça, sendo mais comum na região atrás dos olhos, na testa e próximo da nuca.

Doença mão-pé-boca

É uma doença causada pela infecção de enterovírus.

Desnutrição

É o termo utilizado para se referir ao quadro produzido pela carência de proteínas e/ou energia – desnutrição proteico-energética. Existem vários sinais clínicos que devem ser observados para avaliação do estado nutricional do paciente: textura e elasticidade da pele e lesões; coloração das mucosas; textura, coloração e facilidade de desprendimento dos cabelos; força e massa muscular apropriadas à idade, etc.

Coqueluche

É uma doença infecciosa e transmissível, que afeta o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e é caracterizada por crises de tosse seca. É causada pela bactéria Bordetella pertussis. A transmissão ocorre pelo contato direto com uma pessoa doente ou por meio de gotículas de saliva ou secreção eliminadas na tosse, no espirro ou durante a fala.

Brotoeja (miliária)

Lesões da pele causadas pela oclusão das glândulas produtoras de suor, também conhecida como miliária.

Adoção

Adoção é o procedimento de transferência dos direitos e deveres de pais biológicos para uma família substituta e  que confere a crianças ou adolescentes os direitos e deveres de filho. Pressupõe a prestação de assistência material, moral e educacional à criança ou adolescente, fornecida por quem pretende adotá-la. Deve ser estimulada somente quando os recursos para uma convivência com a família original estiverem esgotados.