Desnutrição

É o termo utilizado para se referir ao quadro produzido pela carência de proteínas e/ou energia – desnutrição proteico-energética. Existem vários sinais clínicos que devem ser observados para avaliação do estado nutricional do paciente: textura e elasticidade da pele e lesões; coloração das mucosas; textura, coloração e facilidade de desprendimento dos cabelos; força e massa muscular apropriadas à idade, etc.



A desnutrição pode ser primária, secundária ou mista. Ela é primária quando não são oferecidas as quantidades adequadas de cada nutriente e/ou não há disponibilidade suficiente de alimentos; essa forma está mais associada à pobreza. É chamada secundária quando, apesar de haver adequada oferta, existem condições que impedem que a criança aceite os alimentos ou quando não há apropriada ingestão ou absorção, por exemplo, nos casos de diarreia crônica. Quando as duas causas estão presentes, a desnutrição é chamada de mista.


O tratamento baseia-se na suplementação daqueles nutrientes que estão deficientes. Além disso, é fundamental a orientação da família para o uso dos alimentos mais conveniente, de acordo com suas possibilidades econômicas, para que a criança não volte a ficar desnutrida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo