Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Considerado raro, câncer de olho pode levar à cegueira e até à morte

Imagem
O retinoblastoma é o tumor maligno intraocular mais comum da infância. O sucesso do tratamento depende da habilidade dos pais e do pediatra em detectar a doença quando ela ainda é intraocular, encaminhando-a precocemente ao oftalmologista para a realização de um fundo de olho e ao oncologista pediátrico para tratamento adequado ao estádio da doença, a fim de preservar não só a vida da criança como também a funcionalidade do olho acometido.

Hipertensão arterial também atinge crianças

Imagem
A hipertensão arterial, também conhecida como “pressão alta”, não é uma doença exclusiva da população adulta. O aumento da pressão sanguínea também tem se tornado muito frequente nos pequenos. Alto consumo de alimentos industrializados e sedentarismo são os principais fatores que levam ao desenvolvimento da doença.

Crianças de 4 anos precisam de atenção especial para bom aproveitamento escolar, dizem especialistas

Imagem
A Lei 12.796 reduz a idade de matrícula de crianças em escolas determinado que “é dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula das crianças na educação básica a partir dos quatro anos de idade”. No entanto, as escolas precisam estar preparadas para receberem essas crianças, entendendo que elas estão em uma fase do desenvolvimento que requer cuidados especiais. O fato das crianças chegarem mais cedo à escola vai favorecer a identificação de possíveis problemas de aprendizado, permitindo abordagem precoce com objetivo de diminuir as dificuldades na fase da alfabetização.

Os professores deverão ser treinados para identificarem “sinais de alerta” que constituem indicadores de risco de problemas futuros no aprendizado como, por exemplo, atraso no desenvolvimento da linguagem que pode ser um sinal de alerta para o diagnóstico de autismo. Deve-se destacar que a atenção a esses sinais de alerta é fundamental, mas também é preciso considerar que alguns comportamentos podem indicar somente…

Meu problema é

Imagem
O hábito de falar durante o sono é muito comum e não significa uma doença se ocorrer isoladamente. Entretanto, indivíduos que sofrem de pesadelos uma ou mais vezes por semana e de sonambulismo podem ter o sono prejudicado. É o que explica Rogério Gomes Beato, professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, na coluna ‘O meu problema é’. Publicada no jornal O Tempo, a coluna fala sobre como lidar com pessoas que apresentam esses problemas.

Obesidade infantil: um assunto de família

Imagem
Mudanças na economia, maior facilidade de obter alimentos, urbanização, mídia, diminuição de atividades físicas e novos hábitos alimentares. Todos esses fatores contribuíram para uma espécie de inversão no perfil das crianças. Trata-se da obesidade, fenômeno global que dobrou no mundo entre 1980 e 2008, segundo a Organização Mundial da Saúde. Doze por cento da população mundial, o equivalente a 500 milhões de pessoas, estão acima do peso. Uma tendência que pode ter origem na infância e se perpetuar na fase adulta.

Projeto Erica prepara supervisores em MG

Imagem
O Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (projeto Erica), que vai buscar o perfil dos fatores de risco para doenças cardiovasculares em adolescentes de escolas de todo o país, encerra hoje à tarde o treinamento teórico e prático dos supervisores que participarão da pesquisa no estado. Serão, em Minas Gerais, oito supervisores responsáveis pelo acompanhamento da coleta de dados no campo e transferência desses dados para o sistema, e de escolas.

Automedicação em crianças: entenda as armadilhas

Imagem
A automedicação é a utilização de medicamentos por conta própria ou por indicação de pessoas não habilitadas e oferecem riscos de intoxicação principalmente às crianças. Os medicamentos são os principais agentes causadores de intoxicação, pois são amplamente usados, prescritos pelo pediatra ou pelas mães após “consultarem” as amigas ou o “Dr. Google”. Paracetamol, sulfato ferroso, descongestionantes nasais, corticóides podem causar graves reações colaterais.

A reportagem alerta para os perigos da automedicação e chama atenção para a importância da avaliação médica antes de usar um medicamento.

Acne atinge todas as pessoas durante a vida

Imagem
Dados divulgados pelo Ministério da Saúde (MS) apontam que a acne está presente na pele de 80% dos brasileiros entre 15 e 25 anos. Problema é mais frequente na adolescência, mas fatores genéticos, hormônios e alimentação podem levar ao surgimento das temidas “espinhas” em qualquer idade. Tratamento precoce ajuda a evitar cicatrizes.

Pesquisa mostra importância de reconhecer o nome

Imagem
Ao identificar o som de seus nomes, bebês estabelecem vínculos com o ambiente, aprendem outras palavras e iniciam-se no processo de elaboração de linguagem. É o que revela o estudo elaborado a partir do cadastro de 36 bebês de seis e sete meses de idade que participaram da Triagem Auditiva Neonatal Universal do Hospital da Clínicas da UFMG, popularmente conhecida como “teste da orelhinha”. A pesquisa, realizada pela fonoaudióloga Aline Moreira Lucena, propõe questões importantes para a investigação da capacidade auditiva dos bebês, parâmetro adotado mundialmente como referência em avaliações do desenvolvimento infantil.

Eixos

Atraso da puberdade pode acometer adolescentes

Imagem
A puberdade é um período marcado por transformações físicas e psíquicas em meninos e meninas. Crescimento dos testículos, pelos e aumento das mamas são alguns dos indícios de que o adolescente está entrando neste período. Entretanto, alguns meninos e meninas não desenvolvem características sexuais na faixa etária esperada. Problema pode estar associado a doenças crônicas, à deficiência na produção de hormônios, dentre outras causas.