Palmada: método de disciplina ou agressão?

Na semana do Dia Internacional das Crianças Inocentes Vítimas de Agressão (4/06), programa de rádio apresenta série sobre os tipos de agressão contra crianças e suas consequências

 

No último dia 21, o projeto de lei antes conhecido como Lei da Palmada, rebatizado Lei Menino Bernardo – em homenagem a Bernardo Boldrini, 11 anos, vítima de homicídio em abril deste ano –, foi aprovado pela Câmara dos Deputados e segue agora para o Senado. Se sancionada, a lei deve alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e proibirá os pais de aplicarem castigos físicos aos filhos. Mas afinal, a polêmica palmada representa ou não uma forma de disciplinar a criança?

 

Na opinião do professor aposentado do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Antônio Benedito Lombardi, a conversa é mais eficaz. “Você deve criar o seu filho usando a compreensão, porque todas as vezes que a criança tiver um comportamento inapropriado, é importante entender o que aconteceu”, afirma.

 

A tarefa, no entanto, não é fácil. Exige dedicação e paciência, principalmente nos casos de crianças mais agitadas. Segundo Lombardi, algumas atitudes inapropriadas fazem parte do desenvolvimento da criança, pois é na infância que os pequenos passam por processos cognitivos relacionados ao entendimento do mundo. “A ajuda do adulto para fazer a criança lidar com determinadas situações só tem a acrescentar. E a imagem que fica da ocasião é positiva”, ressalta o professor, que defende que a agressividade de uma palmada é o emprego de um recurso primitivo.

 

Para os casos de crianças constantemente agressivas ou desobedientes, a recomendação é procurar ajuda especializada. “Nestes casos, os pais devem procurar outros recursos, porque às vezes essa postura desafiadora pode esconder alguns problemas que precisam ser tratados”, comenta Antônio Lombardi.

 

Nesse contexto, o ambiente familiar influencia o comportamento dos mais novos. Isso porque eles tendem a responder de forma hostil ao conviverem em um ambiente agressivo. “A tendência é um ciclo vicioso”, define Lombardi. Como consequência, eles passam a adotar uma postura desafiadora permanente, independente do local em que estejam.

 

Tema da semana

Confira a programação da série Violência Infantil:

Situação atual em Belo Horizonte – segunda-feira (02/06/14)

Palmada: método de disciplina ou agressão física? – terça-feira (03/06/14)

Agressão psicológica – quarta-feira (04/06/14)

Acompanhamento após saída de casa – quinta-feira (05/06/14)

Violência sexual – sexta-feira (06/06/14)

Sobre o programa de rádio


O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 FM. Ele ainda é veiculado em 39 emissoras de rádio de Minas Gerais, Paraná e Estados Unidos. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo