Aumento de cesarianas preocupa especialistas

Saúde com Ciência apresenta a série Tipos de Parto

 

Cerca de 52% dos nascimentos em hospitais brasileiros, públicos e privados, são feitos por cesarianas – estimativa bastante superior aos 15% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). É o que revelou pesquisa divulgada no último dia 29 e realizada entre 2011 e 2012 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o Ministério da Saúde (MS).

Enquanto na rede pública o índice de partos com cirurgia está próximo de 40%, nos hospitais particulares esse número chega a 88%. A professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia e chefe do colegiado do curso de Medicina da UFMG, Alamanda Kfoury, indica possíveis causas para o quadro atual: “Acompanhar um trabalho de parto vai demandar de oito a 12 horas de um profissional, ao passo que na cesariana em uma hora é resolvida a situação. Todo esse contexto socioeconômico e estrutural também desvia a mulher do foco do parto normal”, afirma.

Além da maior “praticidade” da cesárea, algumas mulheres conhecem mitos associados ao parto normal, que vão desde dores que beiram o insuportável ao comprometimento da vida sexual, uma vez que a vagina ficaria mais relaxada. Segundo Alamanda Kfoury, tais condições são evitadas com um trabalho de parto de qualidade. “Nós temos anestesias e outros recursos de alívio da dor. Além disso, a assistência ao parto pode proteger o períneo da mulher de uma laceração. Se você tem um parto bem assistido, não precisa ter esse medo”, garante.

Para o médico do Hospital das Clínicas da UFMG e consultor do MS na área materno- infantil, Lucas Barbosa, a cesariana é uma cirurgia como outra qualquer, que não deve ser realizada à revelia, somente em casos em que o trabalho de parto possa comprometer a saúde da mãe ou do bebê: “O procedimento não deve ser feito em mulheres saudáveis com gravidez de baixo risco, como tem ocorrido no Brasil. Deve haver a consciência de que o bebê que nasce de parto normal nasce mais fortalecido do que por cesariana”.

“É uma cirurgia salvadora para situações de gestação patológica e dificuldade de passagem do feto no nascimento”, acrescenta Barbosa, ao ponderar que a cesariana também tem esse caráter de resgate e que já salvou a vida de muitas mulheres nessas condições.

 

Tema da semana

Os entrevistados da semana ainda discutem a importância dos períodos pré e pós-natal, e dá mais detalhes sobre cesariana e partos normal e domiciliar. Confira a programação:

Antes do parto (Pré-natal) – segunda-feira (16/06/14)

Parto normal – terça-feira (17/06/14)

Parto domiciliar – quarta-feira (18/06/14)

Cesariana – quinta-feira (19/06/14)

Depois do parto (Perinatal) – sexta-feira (20/06/14)

 

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 FM. Ele ainda é veiculado em 39 emissoras de rádio de Minas Gerais, Paraná e Estados Unidos. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo