Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2014

Hepatites Virais A, B e C em crianças e adolescentes

Imagem
As hepatites virais são um grave problema de saúde publica no Brasil e no mundo. Segundo estimativas, bilhões de pessoas já tiveram contado com os virus das hepatites e milhões são portadores crônicos. Os vírus da hepatite causam ampla variedade de apresentações clínicas, que vão desde um estado de portador assintomático, hepatite aguda, fulminante ou crônica até cirrose hepática e carcinoma hepatocelular. As equipes de atenção básica têm papel relevante no diagnóstico e no acompanhamento das pessoas portadoras, sintomáticas ou não, de hepatites. Nesta revisão, serão enfatizadas as hepatites pelos vírus A, B e C, mais frequentes em nosso meio.

Doença celíaca

Imagem
A doença celíaca é uma enteropatia caracterizada pela intolerância permanente ao glúten desencadeada por mecanismos autoimunes nos indivíduos geneticamente predispostos. A doença com seu quadro clínico típico e principalmente atípico tem se mostrado mais frequente do que se imaginava. Seu diagnóstico é baseado em suspeita clínica, exames sorológicos e biópsia intestinal. Este artigo discute ainda o tratamento que continua sendo a dieta isenta de glúten.

Desconstrução de preconceitos e participação no combate à violência nas escolas

Imagem
A solução de conflitos pelo diálogo foi o que Kleber Rangel Silva, aluno do Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência, buscou desenvolver com 12 alunos adolescentes, do ensino médio, da escola Escola Municipal Oswaldo Cruz (Emoc), localizada no bairro Jardim América, em Belo Horizonte.

Para o desenvolvimento de sua dissertação “Encontros e diálogos na escola: promoção da saúde e prevenção da violência entre adolescentes”, Kleber trabalhou com os alunos do subprojeto que ele coordenou, “Paz e Poesia”, do projeto de extensão universitáriaFrutos do Morro”. Foram 13 encontros, entre os meses de abril e julho de 2012, com oficinas de criação de textos, sugeridas pelos próprios estudantes.

A partir das produções surgiram debates acerca dos temas, e foi produzida uma peça de teatro, onde eles reproduziram e problematizaram situações da própria vida. “Apareceram questões como racismo e o trabalho subalterno de muitos moradores da periferia, e eles conseguiram, po…

Estudo premiado caracteriza população com deficiência auditiva

Imagem
*Matéria publicada na edição 42 do Saúde Informa
Pesquisa realizada em Betim busca conhecer usuários do serviço para propor melhorias


[caption id="attachment_43627" align="alignleft" width="300"] Débora Jardim e a orientadora, Stela Maris.[/caption]

Conhecer os dados epidemiológicos dos usuários de serviços de saúde é o primeiro passo para o planejamento e processo de tomadas de decisões adequadas à saúde da população.

Pensando nisso, a aluna da primeira turma do mestrado em Ciências Fonoaudiológicas da Faculdade de Medicina da UFMG, Débora Soares Jardim, com orientação da professora Stela Maris Aguiar Lemos do Departamento de Fonoaudiologia, desenvolveu seu projeto de mestrado, que teve como objetivo caracterizar o perfil epidemiológico da população com deficiência auditiva, atendida em um serviço público de Minas Gerais, quanto a aspectos sociodemográficos, clínicos, assistenciais e comunicativos.

A autora explica que, desde 2004, o Ministério da Saúde asse…

Desvendando a história do câncer em Minas Gerais

Imagem
[caption id="attachment_43492" align="alignleft" width="300"] Lançamento da pedra fundamental do edifício do Instituto de Radium, 1921[/caption]

Através de uma pesquisa que durou mais de um ano, o artigo Instituto de Radium de Minas Gerais: vanguarda da radioterapia no Brasil, 1923-1935 foi produzido com o intuito de valorizar a história da medicina oncológica no estado de Minas Gerais.

Escrito por Ethel Mizrahy Cupershmid, historiadora e coordenadora acadêmica e Maria do Carmo Salazar Martins, cientista social e pesquisadora voluntária, ambas do Centro de Memória da Faculdade de Medicina da UFMG, o artigo é baseado em documentos e pesquisas datados de 1923 a 1935. De acordo com Ethel, o estudo propõe um olhar menos institucional e mais pautado no discurso baseado na historicidade e nos documentos e registros encontrados no Centro de Memória.

A historiadora destaca algumas curiosidades: por possuir um clima ameno, Belo Horizonte era vista, na época, como cid…