Leishmaniose

Doença causada pelo protozoário Leishmania e transmitida por meio do mosquito-palha. É muito prevalente no Brasil. Nos centros urbanos, o cachorro é o principal reservatório da Leishmania.



O mosquito adquire o protozoário ao picar o animal e o transmite ao homem posteriormente. Apresenta dois tipos de manifestação: leishmaniose tegumentar (ou cutânea) e leishmaniose visceral. A forma cutânea manifesta-se com o aparecimento de pequenas pápulas na pele, que crescem até atingirem um a três centímetros (cm) de diâmetro, se tornam úlceras e se resolvem espontaneamente dentro de três a seis meses, deixando cicatriz. A forma visceral manifesta-se com febre, fraqueza e perda de energia, aumento do tamanho do baço e do fígado, anemia, aumento do risco de sangramentos, aumento do risco de infecções, icterícia, diarreia e tosse seca. É uma condição muito grave que pode levar a morte se não tratada adequadamente. A prevenção da Leishmaniose é feita por meio da eliminação do mosquito transmissor, pelo uso de repelentes, cortinados e telas nas janelas, e pelo tratamento adequado dos doentes. A eliminação dos cães infectados deve ser considerada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo