Alimentação da criança de 1 a 2 anos

 






































Horário Tipo de alimentação Observações
Ao acordar Leite materno ou mamadeira. Pode ser complementado ou substituído pelo “café da manhã”: leite no copo, pão, biscoito, etc Em torno dos dois anos de idade, a criança não deverá estar mais mamando, no peito ou na mamadeira, exceto por sobrevivência nutricional.


No meio da manhã

(9 horas)
Suco ou “vitamina” de frutas (laranja, cenoura, tomate, pêra, beterraba, maçã, mamão, abacate, etc). Pode acrescentar leite, mel, um tipo de farinha de cereal, biscoito, etc.

Oferecer em copo e colher, tão logo seja possível.

Estimule a criança a comer com suas próprias mãos. Para algumas crianças essa refeição deve ser bem leve, para não “atrapalhar” o almoço.
Horário do almoço Refeição dos adultos, adaptada (“comidinha”) A partir de um ano e três meses estimule a criança a usar sozinha a colher.


No meio da tarde

(15 horas): merenda
Frutas; leite ou café com leite; papa de leite com biscoitos, pão ou um tipo de farinha de cereais; mingau de leite com um tipo de farinha; gelatina; iogurte, pão, biscoitos, bolo, etc. Próximo de dois anos a criança poderá estar merendando como os adultos.


À tardinha

(18-19 horas)

Jantar
Refeição dos adultos, adaptada (“comidinha”) A partir de um ano e três meses estimule a criança a usar sozinha a colher.


À noite

(até 23 horas)
Leite materno ou mamadeira Em torno dos dois anos de idade, a criança não deverá estar mais mamando, no peito ou na mamadeira.

 

O segundo ano de vida, principalmente após um ano e meio de idade, é um período de transição, em que a criança vai deixar de ser um bebê. Nessa fase a criança aprende a comer sozinha, usando copo e colher, aumenta sua comunicação, começa a aprender a controlar o xixi e o cocô e perde a necessidade da mamadeira. Pode e deve ser desmamada. O uso dos músculos para mastigação ajuda no desenvolvimento da linguagem. Parar de mamar à noite previne cáries dentárias. Todos esses fatos vêm juntos, e significam a oportunidade de aprender a cuidar-se de si, de cuidar do seu corpo e de gostar de si própria, de desenvolver a autoestima e a viver em um novo mundo, mais amplo, mas que também vai exigir mais dela, e para o qual deve ir-se preparando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Raquitismo

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Recomendações sobre sono seguro