Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

Icterícia

Icterícia é a coloração amarelada da pele e das mucosas. É uma situação comum em recém-nascidos e, na maioria das vezes, desaparece no final da primeira semana de vida, sem necessidade de investigação. No entanto, algumas vezes merece maior atenção. Icterícia que persista além dos 14 dias de vida deve ser investigada com urgência, pois pode ser devido a colestase. (Ver Cartilha Alerta Amarelo)

Hepatite

Hepatite é a inflamação do fígado. Pode ter várias causas, como vírus, alguns medicamentos, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, outras vezes podem causar icterícia, que é a coloração amarelada de pele e olhos, urina escura e fezes claras, cansaço, febre, mal-estar e vômitos. O tratamento depende de cada causa. Pode evoluir para cirrose ou ficar estável com o tratamento adequado.

Glúten

É uma proteína existente no trigo, no centeio e na cevada, que está muito presente em alimentos industrializados, como: pães, bolos, bolachas, macarrão, quibes, embutidos, pizzas e cervejas. (Ver doença celíaca)



Cartilha com receitas sem glúten da ACELBRA-MG.

Doença celíaca

A doença celíaca é desencadeada pelo glúten em pessoas com predisposição genética. O glúten é uma proteína que está presente no trigo, centeio e cevada e, nestas pessoas, causa inflamação crônica no intestino, levando à diarreia e perda de peso, mas pode também acometer outros órgãos. A doença ocorre em cerca de 1% da população mundial.

A associação genética da doença celíaca é bem estabelecida - existe risco aumentado da doença em parentes de primeiro grau dos celíacos. Mas, também há chance aumentada da doença em portadores de outras doenças como o diabetes tipo 1, tireoidite de Hashimoto, hepatite autoimune, síndromes de Down, Williams e Turner e a deficiência seletiva de IgA.

Os pacientes apresentam sintomas variados. A forma clássica é caracterizada por sintomas de má absorção de nutrientes pelo intestino (diarreia, falta de apetite, retardo do crescimento, deficiência de vitaminas, ferro, cálcio e ácido fólico). Mas, muitos pacientes apresentam sintomas em outros órgãos além do i…

Constipação intestinal

A constipação intestinal, também conhecida como “prisão de ventre” ou “intestino preso”, é a eliminação de fezes de consistência endurecida ou com frequência diminuída (duas ou menos evacuações por semana). Pode manifestar-se por alterações nas características das fezes, dor abdominal, evacuações pouco frequentes (duas ou menos evacuações por semana), eliminação de fezes calibrosas ou fragmentadas, dor ou esforço para evacuar e até escape fecal (eliminação involuntária de fezes nas roupas íntimas).

É muito comum em crianças e pode trazer graves repercussões na vida do paciente, como comprometimento da qualidade de vida, sentimento de baixa estima, distúrbios comportamentais e retraimento social. Por isso, merece atenção e cuidado.

Artigo acadêmico sobre Constipação Intestinal

Colúria

É a coloração escura da urina devido à eliminação de bilirrubina (substância que compõe a bile e que dá a coloração amarelada à pele). Está associada a doenças do fígado, como a colestase. (Ver colestase)

Colestase neonatal

É o termo utilizado para descrever as doenças que ocorrem no primeiro mês de vida em que há diminuição da eliminação da bile, que passa, então a acumular no organismo. Isso pode levar a cirrose com todas as suas complicações (ver cirrose).  As crianças podem apresentar icterícia (coloração amarelada de pele e olhos), urina de cor escura e fezes de cor clara ou esbranquiçada.

Pode ser causada por agentes infecciosos, tóxicos, doenças metabólicas, síndromes genéticas, entre outros. Uma de suas causas mais frequentes é a atresia biliar. A atresia biliar é uma doença que afeta os ductos biliares, canais por onde é eliminada a bile. Neste caso, o tratamento é cirúrgico e deve ser feito, idealmente, até os 60 dias de vida (ver cartilha Alerta Amarelo). Outras causas de colestase terão tratamentos diferentes.

Cirrose

Cirrose é o resultado de várias doenças crônicas que causam destruição das células do fígado com a formação de cicatrizes, que alteram a estrutura e o funcionamento do fígado. Crianças também podem apresentar cirrose. Não é apenas o álcool que leva a cirrose, mas muitas outras doenças, como hepatite B e C, hepatite autoimune, atresia de vias biliares e doenças do metabolismo. Algumas destas causas têm tratamento, como hepatite B e C e hepatite autoimune, o que pode melhorar a evolução dos pacientes. Outros casos, podem não ter tratamento específico e, com isso, podem ocorrer várias complicações com necessidade, por vezes, de transplante de fígado.

Atresia biliar

A atresia biliar é uma doença que afeta os ductos biliares, canais por onde é eliminada a bile. A doença se manifesta ainda no primeiro mês de vida, com icterícia que se prolonga além de 14 dias de vida, urina escura e fezes claras. É uma das causas mais frequentes de colestase neonatal (ver colestase neonatal). Neste caso, o tratamento é cirúrgico e deve ser feito, idealmente, até os 60 dias de vida. (ver cartilha Alerta Amarelo)

Doença inflamatória intestinal na infância

Imagem
A incidência da doença inflamatória intestinal tem aumentado nos últimos anos. Classicamente, é dividida em doença de Crohn e colite ulcerativa. As manifestações clínicas mais comuns são a dor abdominal, diarreia, perda de peso e sangue nas fezes.

Este artigo chama a atenção para a importância da suspeita clínica e diagnóstico para encaminhamento e tratamento adequados, minimizando o impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes afetados.

Dia das Crianças tem invasão de super-heróis no HC-UFMG

Imagem
No dia 12 de outrubro, as crianças internadas no HC-UFMG não foram visitadas apenas por seus familiares e a equipe do hospital para comemorar o Dia das Crianças. Vieram, também, O Batman, o Homem Aranha, a Mulher-Maravilha e outros super-heróis para festejar este dia especial. A surpresa aconteceu com os personagens escalando as paredes externas no hospital e fazendo cada criança sair de seu leito e correr até a janela para acenar aos personagens dos quadrinhos. A saudação inusitada foi articulada entre um grupo praticante de rapel e a diretoria do hospital. O dia de alegria, certamente, amenizou o sofrimento de muitas crianças em tratamento e reacendeu a relevância do lúdico como aliado às abordagens tradicionais.

[caption id="attachment_1336" align="alignright" width="300"] Super-heróis que alegraram o Dia das Crianças no HC-UFMG[/caption]

Na luta contra o câncer infantil, usar estratégias criativas e típicas do universo infantil é recurso eficaz para enf…

O açúcar escondido nos alimentos: como reduzir o açúcar da alimentação do seu filho

Imagem
[caption id="attachment_1330" align="alignright" width="300"] Desenho feito por Mariana Starling[/caption]

Uma das consequências da globalização e da urbanização aceleradas é a modificação dos padrões alimentares da população. Tais mudanças podem ser traduzidas pelo aumento no consumo de alimentos ultraprocessados, ricos em gordura, açúcar e sal e o baixo consumo de legumes, verduras e frutas1 . Segundo o estudo “Padrões de ingestão de fluidos: um estudo epidemiológico de crianças e adolescentes no Brasil”, que incluiu 831 crianças e adolescentes de ambos os gêneros com idades entre três e 17 anos e residentes em cinco cidades brasileiras, publicado no BMC Public Healthum, adolescentes de 11 a 17 anos ingerem cerca de 26 quilos de açúcar por ano com as bebidas – quase 45% a mais do que eles poderiam consumir no período (18 quilos), considerando o açúcar presente em todo tipo de alimento, não apenas nas bebidas2 , o que mostra um erro alimentar importante d…