Icterícia Fisiológica do Recém-Nascido

Refere-se ao quadro de icterícia - coloração amarelada da pele e mucosas - apresentado por porcentagem significativa dos recém-nascidos durante sua primeira semana de vida, processo considerado normal, por isso o nome “fisiológica”.

Ocorre devido ao aumento na concentração da bilirrubina, substância pigmentada resultante da destruição de glóbulos vermelhos velhos ou defeituosos do sangue. Nos primeiros dias de vida, há aumento na formação da bilirrubina por causa do maior número de glóbulos vermelhos e ao menor tempo de vida destes nos recém-nascidos e a diminuição da capacidade de excreção da bilirrubina, devido à imaturidade do fígado nos bebês.

Apresenta, na maioria dos casos, evolução benigna, sem necessidade de tratamento. Entretanto, se a bilirrubina estiver muito alta, existe o risco de toxicidade com dano permanente ao sistema neurológico (chamado Kernicterus). Por isso, os recém-nascidos devem ser acompanhados de perto para identificar aqueles que podem vir a desenvolver complicações. O banho de luz (fototerapia) pode ser indicado nestes casos.

Como a maioria dos casos de icterícia fisiológica do recém-nascido desaparece na primeira semana de vida, toda criança que permanece ictérica além de 14 dias de vida, deve ser avaliada pela equipe de saúde. (Ver colestase neonatal)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Variabilidade da frequência cardíaca pode determinar risco de morte nasepse

Trombose de veia porta após cateterismo venoso umbilical: revisão da epidemiologia, profilaxia, diagnóstico e tratamento

Raquitismo